segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Relato: Os nãos que a gente não diz!

Postado por Camilla Fernanda às 01:16
Reações: 

"A maior prisão que podemos ter na vida é aquela quando a gente descobre que estamos sendo não aquilo que somos, mas o que o outro gostaria que fôssemos.
Geralmente quando a gente começa a viver muito em torno do que o outro gostaria que a gente fosse, é que a gente tá muito mais preocupado com o que o outro acha sobre nós, do que necessariamente nós sabemos sobre nós mesmos."

É preciso muita honestidade consigo mesmo para reconhecer esse comportamento...
Realmente é preciso, e eu reconheço[pronto falei!], reconheço que tenho a grande necessidade de agradar as pessoas,não é algo premeditado nem nada, álias é totalmente natural.Isso não muda muita coisa, mas pelo menos não fico com ar de maquiavélica,ou de quem é legal com segundas intenções [olha eu aqui com medo do julgamento de vocês].
Demorei a perceber e entender[na verdade ainda não entendo muito],mas estou tentando aceitar a idéia de ser 'controlada' pela opinião alheia.Isto vai de coisas mais banais, até assuntos mais relevantes, como quando mudei uma roupa porque alguém não gostou ou quando fiz o possível e o impossível para atender a um pedido de alguém, mesmo sabendo que não tinha condições de fazê-lo desde o princípio.
Eu acredito que a preocupação com a opinião dos outros e a necessidade de agradá-los se resumam a mesma coisa[pelo menos no meu caso é!], afinal de contas, acabamos por agir diferente em busca de aprovação,admiração,aceitação,reconhecimento,atenção...ou seja lá o que for.
Começa a ficar ruim quando a opinião dos outros, igual às necessidades deles, são mais importantes que as próprias. Quando desejamos agradar, ao ponto de colocarmos, quase sempre, nosso valor próprio nas mãos dos outros e ficamos inteiramente dependente do julgamento deles.
Pior ainda, quando nosso humor ou estado de espírito ficam à mercê de manifestações de atenção de terceiros, ou de migalhas de reconhecimento ,como se isso definisse a SUA importância como ser humano.E quando a atenção e/ou o reconhecimento não vêem, ai sim ,o caso fica pior, pois surge a decepção e a frustação.
Nossa!Parece horrível colocado desse jeito,mas é a verdade nua e crua,é triste[eu sei!],é deprimente [eu ainda sei!] mas eu sei também,que todo ser humano precisa de reconhecimento pelo que faz, o perigo está quando deixa de ser saudável e passa a ser extremamente necessário.
"Aprenda a dizer não sem se sentir culpado ou achar que magoou.
Querer agradar a todos é um desgaste enorme.

(Pensador Russo - Guerdjef )

3 comentários:

Yullia Marizia on 27 de outubro de 2009 23:52 disse...

Amiga, gostei viu. Sinceridade acima de tudo. E quer saber, só o fato de reconhecer já é grande coisa, eu acho q tb tô nesse estágio. Isso me lembrou a dialética... As contradições e falhas dentro desse nosso modo d vida nos impulsionam para uma nova forma de vida (melhor) E tudo sempre em constante movimento, e nos sempre em constante movimento...
Te amo brcutuzinho do meu coração, hsuahsuahs.

***Marybonekinha*** on 28 de outubro de 2009 12:38 disse...

gostei de seu blog ....de mais

visita o meu e segue tbm bj
http://sentimentosreias.blogspot.com/

Rafaella on 2 de janeiro de 2010 13:13 disse...

Aha! Nem sabia que tu tinha um blog, óh... agora eu já sei! rsrs Legal poder escrever o que se pensa num lugar q achamos q ninguém vÊ, mas vÊ! rsrs
Quanto ao post, eu te entendo, Camila, já fui assim muito mais na adolescência, acho que pela fase mesmo, em que sentimos essa vontade de aeitação, mas mesmo assim é preciso trabalhae isso, ainda mais quando se estende à fase adulta (a gente já é adulta, né? não adianta não querer admitir! hauahuauauauaa).
Coisas muito boas p/ ti sempre...

Beeijo ;D

 

Tudo que acho certo Copyright © 2010 Design by Ipietoon Blogger Template Graphic from Enakei