terça-feira, 28 de dezembro de 2010

e sigo aprendendo

Postado por Camilla Fernanda às 21:06
Reações: 
0 comentários

"-- Quem ensinou tudo isso ao senhor, Doutor?
 A resposta veio prontamente:
 ' --O sofrimento'. "


Albert Camus, A Peste



É bem certo que quando se aprende, dói bem menos.
Porque né... bola pra frente minha gente.
Feliz 2011 a todos!

sábado, 11 de dezembro de 2010

Lições do cinema N° 2

Postado por Camilla Fernanda às 19:22
Reações: 
1 comentários


Amiga:
-É este tal de David que você
mencionou casualmente...40 ou 50 vezes desde
que você chegou aqui? Ele me parece, talvez,
como uma ilusão.

Sabrina:
-Ele me faz companhia.

Amiga:
-Você acha mesmo? Ilusões são perigosas. Elas não têm defeitos.


Filme: Sabrina

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Sem mais...

Postado por Camilla Fernanda às 01:11
Reações: 
2 comentários

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Sobre a vida

Postado por Camilla Fernanda às 22:00
Reações: 
7 comentários

"É tudo uma questão de manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo" ♪♫

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Assinado Eu

Postado por Camilla Fernanda às 12:04
Reações: 
4 comentários
E terminou como começou...DE REPENTE.
Ontem era esperança hoje é desilusão. Ontem era quase saudade hoje é vontade de matar qualquer lembrança. Típico de alguém que espera bem mais da vida, ela não ia se contentar, ela não ia sossegar. Ela sempre soube aliás.
Sempre soube que não era isso, mas até aceitou tentar, afinal nem tinha nada de melhor pra fazer. Aceitou vestir a fantasia de macho alfa que não quer se comprometer ou não consegue se comprometer. Aceitou não ser intensa uma vez na vida, aceitou não ser ela. E não deu certo.
Como havia de se esperar, quando não se é você mesmo, não se é ninguém. Ela percebeu, antes que fosse tarde demais, que quando é preciso mudar quem você é pra agradar alguém, você acaba perdida. Pois é difícil agradar os outros sem perder a si mesmo. Muito difícil.
Ela não vai negar que ficaram coisas boas, claro que ficaram. Ficou o cheiro, o olhar, o sotaque sedutor. Sempre fica o que não é mais. De tudo que vai sempre fica o que foi bom e foi muito bom enquanto durou.
Ela quer ser feliz e encontrar alguém que goste dela de verdade por isso não pode continuar. E se sentia quase tranquila por ter certeza de ter tomado a decisão correta. Tomou a decisão de não se anular, de se respeitar e se conhecer.Escolher por você sempre é a decisão correta.
Se vai doer? Vai. A falta vai doer, isso é fato. Sempre dói. Mas o mais doloroso é a morte constante das coisas, já dizia Caio Fernando de Abreu. O mais doloroso é saber que de novo, mais uma vez, novamente, não deu certo. Não era ele. E forçar a barra não adiantou. E tentar não ser ela mesma não deu certo.
Pra uma desassossegada nata, ela estava devagar demais, ela estava quase se acostumando a não ser, ela quase aceitou a incerteza. Ela quase se matou pra viver a calmaria, só pra deixar que ele assumisse o papel dado a ela por natureza.Mulheres são intensas.
O bom foi ela ter percebido o quanto antes, que quando não se espera que o telefone toque, e se ele toca o coração não vibra, quando o cheiro não mora nos pulmões, NÃO VALE A PENA. E por mais que demore, por mais que canse, por mais que desespere esperar, vai aparecer alguém que balance suas estruturas e lhe faça perder o ar. É bom acreditar.
E pra ele fica uma dica: Da próxima vez que você quiser um troféu tenha a humildade de reconhecer que só os melhores ganham prêmios.
"Me despeço dessa história e concluo a gente segue a direção que o nosso próprio coração mandar. E foi pra lá. Foi pra lá" 

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Comumente falando

Postado por Camilla Fernanda às 12:11
Reações: 
1 comentários




"Desassossegados do mundo correm atrás da felicidade possível, e uma vez alcançado seu quinhão, não sossegam: saem atrás da felicidade improvável, aquela que se promete constante, aquela que ninguém nunca viu, e por isso sua raridade.

Desassossegados amam com atropelo, cultivam fantasias irreais de amores sublimes, fartos e eternos, são sabidamente apressados, cheios de ânsias e desejos, amam muito mais do que necessitam e recebem menos amor do que planejavam.

Desassossegados pensam acordados e dormindo, pensam falando e escutando, pensam antes de concordar e, quando discordam, pensam que pensam melhor, e pensam com clareza uns dias e com a mente turva em outros, e pensam tanto que pensam que descansam."


(Martha Medeiros)


Tipo eu né!? ;)

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Essas coisas

Postado por Camilla Fernanda às 13:40
Reações: 
1 comentários




"Nos últimos dias, isto é, ontem, a tristeza começou a ceder território a uma espécie de - digamos - abnegação. Durmo, acordo, faço coisas, leio. E esse vazio que ninguém dá jeito? Você guarda no bolso, olha o céu, suspira, vai ao cinema, essas coisas".

(Caio F.)

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Tudo que vai

Postado por Camilla Fernanda às 22:32
Reações: 
3 comentários

Oi, L escrevi pra dizer que lembrei de você.
Passei horas tentando pensar em como começar essa carta e decidi que começaria pelo motivo que me fez te escrever. E foi isso, ter lembrado de você. Não que eu não tivesse lembrado antes, eu sempre lembro, só que dessa vez a lembrança veio acompanhada de uma angústia. Angústia essa que me dominou no meio do dia e me fez correr desesperadamente atrás de um caderno pra copiar meus pensamentos, antes que todos eles fugissem. Ahh vai, você sabe que escrevo sobre quase tudo que me acontece e sempre transformo num texto dramático e meio triste,só pra combinar comigo, você sabe.
Enfim, depois que você foi embora, tudo mudou. Eu que nunca me adapto bem a mudanças, aliás sempre morro de medo delas, não gostei nada disso. Eu morri várias vezes, tentei até me consolar repetindo sem parar que você precisava ir, que evoluir na vida é sempre bom e que eu sempre te apoiei tanto não era agora que ia te desencorajar. Mas tenho que confessar que não foi fácil e ainda não é, acho até que nunca será. 10 anos de convivência diária não se superam assim. Mais de um ano já se passou e eu nem ao menos me adaptei.
Lembro do primeiro dia que te vi. Você tinha olhos de menina, olhos de menina de 13 anos em um corpo de 15 . Eu era muito mais criança que você (tinha apenas 10 anos), mas seus olhos sempre foram mais inocentes. Era uma inocência de menina do interior, que menina da cidade nenhuma consegue imitar.
Lembrei também que uma vez você me disse ainda lembrar desse dia, você disse que eu cheguei de repente com a minha roupa de Ballet, disse que eu era sorridente e um tanto gordinha.
A gente se tornou tão amiga, eramos cúmplices. Você nunca gostou de fazer nada sozinha e era sempre eu que te acompanhava. Na hora de acordar e de dormir, era sempre a sua companhia que eu tinha. Você me fazia parecer menos só com as suas reclamações infinitas.
Hoje em dia eu ando pela casa e falo sozinha, falo com espelho, falo com qualquer coisa, pra tentar esquecer da sua ausência, pra tentar enlouquecer menos. E ás vezes até esqueço de você. É, esqueço. De tanto lembrar eu acabo esquecendo, acho que meu cérebro bloqueia pra evitar sofrimento. Essa é a minha teoria.
Vez ou outra você me liga, ( eu nunca ligo, você sabe disso) e pergunta como eu estou, como andam as coisas, cobra a minha visita, reclama que eu sempre prometo e nunca vou, pergunta por Belinha e Zeus e me fala um pouco de você.Nossa conversa entrou naquela de ser formal, de perguntar coisas óbvias e até repetidas. Termina eu jurando que vou te visitar, você fingindo acreditar. Nos despedimos e tudo fica (quase) bem.
Tem um escritor aí que eu gosto muito, um tal de Caio Fernando Abreu, ele escrevia coisas ótimas, em um dos textinhos ele dizia assim:
"Uma pessoa, quando está longe, vive coisas que não te comunica, e tu, aqui, vive coisas que não a comunica. Então, vocês vão se distanciando e, quando vocês se encontrarem, vocês vão se falar assim: oi, tudo bom e tal, como é que vão as coisas? E aí ele vai te falar, por cima, de tudo que ele viveu, e, não sei, vai ser uma proximidade distante. Não adianta, no momento que as pessoas se afastam, elas estão irremediavelmente perdidas uma da outra."
 Entende? Podemos nos falar sempre, mas nada será como antes, temos uma proximidade distante, é isso que dói. Saber que nunca mais seremos quem costumávamos ser é o que assusta, corrói e desespera. Saber que você não vai chegar pela porta e reclamar que deixaram o portão aberto, dizendo que qualquer hora entra um assaltante e leva tudo. Você não vai dizer que o teu estômago tá te matando e eu não vou poder te assustar com as minhas explicações pseudo-científicas, te obrigando a ir ao médico tratar isso direito. É isso que dói.
O que dói é o que não ficou. É o CD de Mamonas Assassinas e o de Roupa Nova. É a tua gaveta sempre arrumada. É a tua imagem sentada na cadeira perto da porta da cozinha. É você me calçando pra ir a escola quando eu fazia 3° série.Tudo isso está perdido em algum lugar do tempo, em qualquer lembrança nossa, em tudo que me lembra você.
Mas eu não te escrevi pra falar de dor. Escrevi pra te dizer que apesar de tudo eu vivo normalmente, ainda vou na igreja, fico muito tempo no computador e durmo muito tarde. Ainda sou louca por doce, adoro coca-cola e não tô namorando. Ainda escuto aquelas músicas loucas que você odiava, ainda sou caseira, meu guarda-roupa ainda é sempre bagunçado e continuo péssima na cozinha.
 Enfim, ainda sou eu. Depois desse tempo todo, eu mudei, cresci, aprendi muita coisa, mas ainda se trata de mim.
Eu te escrevi pra dizer que sinto falta de muita coisa, mas de você eu sinto saudade.SAUDADE que é palavra da língua portuguesa que ninguém consegue explicar, que é um sentimento ambíguo que ninguém consegue ser justo ao tentar definir. Eu é que não vou tentar. Só escrevi mesmo para que você soubesse o que sinto. Só escrevi pra dizer o quanto foi, é e será difícil sem você aqui.É isso...

A Dani sempre te manda um beijo e eu acho que te amo.
Quando tiver um tempinho me liga ! 


P.S: L se trata de uma grande amiga que morou comigo 10 anos. 

terça-feira, 5 de outubro de 2010

"Eu não falo de dor...

Postado por Camilla Fernanda às 09:46
Reações: 
4 comentários


eu falo da estranha sensação que é não sentir NADA."
Não é que eu não sinta, eu só .... não sinto sabe?! Eu tinha andado meio distraída, ligada no automático e nem tinha percebido. Mas é isso mesmo, atualmente não sinto nada.
É claro que isso não é nenhuma novidade pra mim, já tinha passado por momentos assim antes. Mas antes eram apenas 'momentos' agora são dias.
Eu sempre fui meio estranha, diferente da maioria e blá blá blá... nunca achei que álcool resolveria, muito menos que festinhas-futéis-tocando-a-música-do-momento iam me acrescentar alguma coisa.
Eu sempre busquei MAIS, sempre achei que tinha alguma coisa, que ia chegar alguma hora, pra preencher essa parada. E fui levando a vida assim, de uma maneira um tanto quanto estranha e quase feliz.
Ai estou eu, no meio da aula de Inconsciente I, ouvindo a professora dizer que nós já nascemos com a falta/perda de alguma coisa e passamos a vida inteira tentando preencher o que não se preenche. Inventamos histórias, amores, alegrias e etc.. pra tentar colocar um objeto nessa lacuna.
E aí eu percebo que o meu curso (psi) é o melhor e mais angustiante do mundo, porque a partir do momento que define-se algo, corre-se o risco de limitar ou infinitar esse algo. E nesse caso infinitou (isso existe?). Antes era só uma TPM prolongada, uma ligeira depressão. Eu parava e pensava "Aff hoje eu tô meio down" e pronto.
Aparecia algo que me animava e eu esquecia. Mas agora que sei, que é humano sentir isso, que isso se chama VAZIO EXISTENCIAL e que já nascemos tentando preenchê-lo,tudo tomou proporções gigantescas, só consigo imaginar um buraco negro que nunca será preenchido por nada. O que me fez lembrar o Lennon "A ignorância é uma espécie de benção". E é mesmo.Sem saber, eu quase nem sentia.
Para a psicanálise viveremos pra sempre com a perda/ falta e no momento do ápice ( angústia) procuraremos um objeto pra preencher essa falta. Lembro dela dizer que o amor é o mais usado. (O amor? Será? Ele preenche mesmo?).
Mas, eu com toda a minha intensidade e medo da vida, costumo desejar demais as coisas. Quando quero, quero muito e quero agora. É tudo ou nada. É 8 ou 80. Não sei viver na superfície das coisas. E quando não sinto esse querer intenso, costumo nem levar pra frente qualquer projeto de envolvimento. Porque se eu não estiver completamente envolvida e embriagada por sentimentos, costumo ter pavor de qualquer profundidade. Eis aí a minha contradição.Por isso nunca encontrei preenchimento algum no amor, ninguém quer uma louca complicada e contraditória. Então lembro da Tati Bernardi:  "Você deveria saber. Eles nunca são a resposta. Nunca foram".E decido que o amor não deve mesmo preencher.
No post passado disse "Aprende, aprende, aprende que dói menos". Agora, digo que não sinto nada. Eu costumo oscilar muito entre esses dois estágios (o de dor e o de não sentir nada), no post passado me referia a minha velha mania de positivar afeto, pra tentar preencher este vazio. Aquela mania de inventar amores, pra ter com quem sonhar, o que desejar, pra ter objetivo mesmo. Isso nunca deu certo pra mim. NUNCA. 
Sempre sonho, desejo sozinha e depois de perceber isso, me deparo com um sentimento de quase dor seguido de um não-sentir. Como se a frustração de perceber que tudo se repete, levasse ao bloqueio de qualquer sentimento. Me fazendo possuir um coração anestesiado. Ou seja, caio no vazio de novo. É um círculo vicioso imutável. Que só me leva a pensar que não fui mesmo feita pra isso. Devo fazer parte de uma espécie não-humana rara-limitada-de-seres-que-buscam, só pode.O que me lembrou do Lewis: "Se eu encontro em mim um desejo que nenhuma experiência neste mundo pode satisfazer, a explicação mais provável é que eu fui feito para outro mundo." 
Daí, decido que é isso. Fui feita pra outro mundo e devo passar a vida tentando encontrar o caminho de casa, bem no estilo Dungeons & Dragons (Caverna do Dragão), vivendo de esperança e ilusão, buscando o fim de uma história sem final. Levando a sensação de que não sentir nada é pior que sentir dor.

domingo, 26 de setembro de 2010

Pela milésima vez...

Postado por Camilla Fernanda às 15:56
Reações: 
4 comentários


"Aprende, aprende, aprende que dói menos"

Tati Bernardi

sábado, 18 de setembro de 2010

Frases Soltas

Postado por Camilla Fernanda às 00:46
Reações: 
2 comentários
"Pela primeira vez examinei a mim mesmo com o propósito seriamente prático. E ali encontrei o que me assustou: um bestiário de luxúrias, um hospício de ambições, um canteiro de medos, um harém de ódios mimados."
C. S Lewis

sábado, 11 de setembro de 2010

Delete > End > Page Down

Postado por Camilla Fernanda às 20:37
Reações: 
5 comentários
Não sei ao certo dizer o que foi. Só sei que surpresa não foi, decepção talvez. As palavras que saiam da sua boca não condiziam com a idéia que eu tinha de você. Tava tudo estranho e diferente de maneira a me causar um desespero tremendo. É desesperador não encontrar a pessoa que você se acostumou a ver. E esse desespero me fez confundir a vontade de chorar com a necessidade de chorar, me fazendo querer o fim de algo que eu não queria que acabasse. E eu me questionava o porque de sentir tudo aquilo, como se fosse errado sentir. No fundo eu tinha a total certeza de que era bem normal sentir tudo aquilo, afinal sou humana e humanos SENTEM coisas, até mesmo o que não é pra sentir. Aliás, acho até que os verdadeiramente humanos são aqueles que sentem exatamente o que não é "certo" sentir. Me senti muito humana naquele momento e até agora sinto. Sinto também que errei em vários aspectos, errei por omissão, por ação, por ilusão, por consideração. Errei mesmo. De todas as maneiras possíveis. Mas errei de uma maneira tão sincera que nem me sinto mal por isso, fui como sou e como pude ser. Depois de algum tempo a gente acaba percebendo que SER é bem melhor que FINGIR SER, mesmo que você tenha que abdicar do seu orgulho por isso, mesmo que fique desconfortável e confusa, a verdade é bem melhor. Nem foi tão difícil assim, eu sobrevivi aliás, tô aqui viva, bem, livre e tudo mais. O difícil mesmo vai ser, ter que te tirar do pedestal que eu, com tanto carinho, esculpi sob medida pra você. Isso sim.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Quase indo...

Postado por Camilla Fernanda às 02:09
Reações: 
2 comentários
O aniversário da minha bela cidade tá chegando,mas...





...me desculpe São Luís, 




São Paulo me espera *.*

Uma pobre menina pobre arrumando a mala...com medo de pagar excesso de bagagem.


Postado por Camilla Fernanda às 01:22
Reações: 
1 comentários
"Não passa nunca, mas quase passa todos os dias."                  [Tati Bernardi]

sábado, 28 de agosto de 2010

...

Postado por Camilla Fernanda às 17:40
Reações: 
2 comentários

"Sempre acreditei que toda vez que a gente entra numa igreja pela primeira vez, vê uma estrela cadente ou amarra no pulso uma fitinha de Nosso Senhor do Bonfim, pode fazer um pedido, ou três. Sempre faço. Quando são três, em geral, esqueço dois. Um nunca esqueci. Um sempre pedi: AMOR" 







Caio Fernando Abreu

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Nas folhas secas da vida efêmera

Postado por Camilla Fernanda às 16:40
Reações: 
3 comentários

Foi agradável, bonito, interessante, desafiador e fora do comum. Pensamentos e palavras se encaixavam como se tudo fosse ensaiado. Como a atuação de grandes atores em um filme indicado ao Oscar, nós cabíamos perfeitamente naquele papel. E o prêmio seria nosso, se tudo não tivesse sido extremamente natural, imprevisível e inesperado. Se não tivéssemos a leveza da nossa surpresa em descobrir tanta afinidade, mereceríamos o prêmio.
Aquele momento foi único e jamais poderá ser repetido, por mais que tentássemos, ele não se repetiria. E eu sabia disso. Não dá pra reproduzir a espontaneidade. Dá pra fingir espontaneidade, mas nem somos atores, lembra!? Nem de novela mexicana, muito menos de filme americano clichê.
Somos normais, comuns. Somos sem graça. Dois sentimentais não assumidos, dois medrosos, dois feridos, dois pé-atrás com a vida. Só somos raros juntos e inspirados. Desarmados e calmos. Manipuladores e provocativos.
Se não fôssemos tão teimosos e cheios de armaduras, poderíamos tentar. Tentaríamos ser os personagens do filme, ao invés dos atores. Seríamos daquele tipo que percebem a efemeridade e fragilidade da vida e tem pressa, seja por quererem de verdade, seja por só terem no máximo 180 minutos. E tudo duraria enquanto alguém acreditasse, enquanto fosse mágico e parecesse verdade.
Mas a explicação para continuarmos insistindo em nos manter distante é essa:
No dia em que nossos caminhos se cruzaram, tudo aconteceu no sono REM e durou o tanto que um bom sonho pode durar...
não o bastante pra ser real.
Camilla Fernanda


"Não é mentira, é só um jeito de contar a verdade com algum encantamento" Tati Bernardi

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Comumente falando* : 30 Coisas para fazer antes dos 30 anos

Postado por Camilla Fernanda às 20:43
Reações: 
3 comentários




1. Ficar absurdamente bêbado pelo menos uma vez na vida [ absurdamente, absurdamente... ainda não]



2. Encontrar alguém da Net


3. Agarrar um amor platônico [ pretendo né!?huashuashuas]


4. Se apaixonar a primeira vista [ ainda tenho 9 anos pra fazer isso]


5. Roubar o namorado de alguém [ NÃO pretendo né!? Sacanagem]


6. Roubar chocolate nas lojas Americanas [ vontade já deu]


7. Ir p/ balada d ônibus [ váaaarias vezes.Sou pobre, pow]


8. Subir num palco e dançar igual louco  [ Serve numa caixa de som? ]


9. Transar num lugar público [ hein!? O.o]


10. Fingir ser estrangeiro e falar um idioma que ñ existe [ tinha uns 8 anos, foi mto massa]


11. Pintar o cabelo de uma cor absurda [ meu cabelo é sagrado]


12. Fazer uma Tatoo [ coragem eu tenho, falta-me o desenho ideal]


13. Ter o melhor sexo da sua vida com um idiota


14. Ir a um show d rock e ficar gritando: 'CANTA PAGODE' [ quer que eu morra?]


15. Voltar da balada e dormir com a roupa que saiu


16. Se jogar na piscina de roupa [ acho que já, mas não tenho certeza então...]


17. Fugir de casa p/ sempre e voltar no outro dia  [ só fui até a garagem]


18. Ir numa boate gay


19. Passar uma semana a base de sorvete e chocolate [ quer que eu morra ?²]


20. Tomar banho de praia a noite


21. Ter um peixe e conversar com ele


22. Encontrar um ídolo


23. Sacanear um desconhecido


24. Chorar vendo um desenho [ todo coração inocente chorou vendo O Rei Leão, nem vem]


25. Compor uma música


26. Viajar sozinho


27. Chorar de tanto rir


28. Jogar uma bomba no vizinho [ queria jogar na igreja infernal que tem em frente a minha casa, é pecado?]


29. Encontrar um amor [ se fosse antes dos 22 eu agradeceria ;)]


30. Dizer EU TE AMO [só pra quem importa ;D]
 
 
 
* Todas as postagens com o título 'Comumente falando' são baseadas ou descaradamente copiadas de alguma comunidade orkutiana
Créditos: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=36038754

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Sala de espera

Postado por Camilla Fernanda às 22:30
Reações: 
4 comentários
Ela não sabia mais o que esperar.
Já havia esperado tanto, perdido tanto tempo pensando e pouco vivendo. Achava que era hora de viver de verdade. Mas não aceitava esse pensamento arrependido de quem muito errou. Sabia que a culpa real não era dela. Sabia que ninguém tinha culpa. E sabia também que não havia do que se culpar. Mas agora próximo de apagar a sua 21° velinha, ela se perguntava se era aqui mesmo. Se é aqui, que ela sonhava estar. E nesse exato momento, apavorada só de pensar na resposta ela lembrou...
Que teve um patins, algumas barbies e o pai sempre trazia chocolate de suas viagens. Sua infância foi feliz, a mãe sempre fez tudo por ela e do irmão ela sempre cuidou ( apesar de ser a caçula). Viu um golfinho saltando em alto mar, um bicho preguiça no Amazonas  e jura que um tubarão comeu o pente que ela deixou cair.
Lembrou que tem muita sorte pra amigos, que crianças sempre a adoram, que já sorriu muito na vida, já se apresentou em um teatro, já conheceu um ídolo e já teve uma festa surpresa.
Ela então pensou que a vida é uma eterna sala de espera, cheia de oportunidades, o segredo é saber aproveitá-las. E sim ela chegou então àquela resposta ...




  "É, era exatamente aqui."

sábado, 24 de julho de 2010

Mais que agradável...

Postado por Camilla Fernanda às 03:42
Reações: 
5 comentários
Ah férias ...
Ãham tô de férias, tá certo que tive que cancelar minha cadeira de férias pra tá aqui agora escrevendo isso, mas tanto faz, o importante é que tô de férias. \o/
Agora terei tempo pra assistir TV até cansar e aí dormir. Acordar pra comer e dormir de novo.Vou banhar meus cachorros, ajeitar meu quarto, sair pra lanchar, dormir muito tarde ( tá, isso eu faço sempre) e acordar mais tarde ainda ( taí a grande diferença *.*).
 Enfim, vou poder fazer o que eu quiser, sem culpa. Sem ter que pensar porque cargas d' água Sartre falou que "o inferno são os outros" e o que exatamente ELE quis dizer com isso. Sim, porque tem uma grande diferença entre o que ELE quis dizer com isso e o que eu entendo disso. É, tem sim.
Também não precisarei me preocupar quando ( ou SE) o rato vai pressionar a barra, nem com o apego de Bolwby ( nem mesmo se escrevo o nome dele certo ), muito menos com o Giro occipto-temporal lateral. Eu quero mesmo é que Heidegger se exploda com as angústias que a liberdade traz. E se puder ir pras profundezas dos "outros" ( trocadilho mode on) junto com Sartre, nem acharei ruim.
Agora com tempo pra refletir mais sobre as pequenas coisas, vou parar pra enxergar melhor também. E ver se aquelas cores todas, eram reais ou só abstrações equivocadas de uma mente exausta.
Assim como sei que mistérios me intrigam e inteligência me atrai, sei que detalhes me interessam. E todos aqueles detalhes que pro mundo não tem a menor importância, pra mim fazem toda a diferença. Mas só agora eu pude ver. Agora que o caos passou e eu já consigo enxergar a estrela surgindo bem pequena, como um mísero ponto de luz na escuridão. A partir disso sinto que pequenas emoções voltam a se formar e tudo parece estar exatamente como deveria.

Tão certo como o calor do fogo, sei que vibro paz e tranquilidade. /entendaquempuder

quinta-feira, 22 de julho de 2010

♪♫

Postado por Camilla Fernanda às 00:09
Reações: 
2 comentários

"Canta para mim, qualquer coisa assim sobre você, que explique a minha paz. Tristeza nunca mais.”  

Casa pré-fabricada => Los Hermanos

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Exceptions

Postado por Camilla Fernanda às 13:24
Reações: 
6 comentários
Não vejo problemas em fazer da vida um rascunho, acho que mil palavras podem valer mais do que uma imagem, não acho que esperanças sejam as últimas que morrem, acho que, às vezes, pode ser tarde demais. Que às vezes, a pressa e a perfeição estão juntas, a água pode acabar antes de furar a pedra, às vezes, a má companhia ensina o que a solidão não pode. Que muitas vezes a intenção passa despercebida e o que importa é a ação, que há argumentos contra muitos fatos, o tempo não cura nada, dois pássaros voando são infinitamente mais bonitos do que um na mão. Que o coração sente muita coisa que os olhos não vêem; e certos últimos serão sempre os últimos.


Mariana Marinho

domingo, 13 de junho de 2010

Postado por Camilla Fernanda às 02:53
Reações: 
3 comentários
"Isso tudo nunca foi pra mim, nunca funcionou, é sempre eu que caio, de amores, ilusões, dores e no final de tudo eu fico aqui, esperando esse trem, pra me levar para a proxima estação, onde eu possa finalmente criar uma nova ficção na minha cabeça, uma nova atração para os meus olhos, uma nova paixão pro coração, e quem sabe, um final pra este roteiro"

'O mestre': Caio Fernando Abreu

sexta-feira, 11 de junho de 2010

♪♫

Postado por Camilla Fernanda às 01:43
Reações: 
0 comentários
Só pra compartilhar uma música mega fofa, que encontrei por esses dias.
*.*

Chá Verde-Tiê

Eu tentei evitar
Liguei a tevê
E deitei no sofá
Desde que haja tempo pra sonhar
E assuntos pra desenvolver
Não é muito fácil desligar

Me dá pena do meu chinês
Por ele eu passava o dia inteiro
A meditar
Bebendo chá verde ele me diz
"Fica feliz que vai funcionar"
Mas eu tô feliz,
Eu juro pelo meu irmão
O saldo final de tudo
Foi mais positivo que mil divãs


Por isso que não adianta
Querer julgar
É cada um por si
Na sua
Própria bolha de ar
Mas o que eu penso mesmo
É encontrar alguém que me dê carinho e beijo
Me trate como um nenêm,
Me trate muito bem
Ah, eu só quero amor
Seja como for o amor
Seja bom, seja bom,
Seja bom, seja amor
Me faz mais feliz
Me dá asas pra fluir
E cantar o amor



domingo, 6 de junho de 2010

♪♫

Postado por Camilla Fernanda às 17:30
Reações: 
2 comentários

 
♪♫ Socorro!
Alguém me dê um coração
Que esse já não bate nem apanha
Por favor!
Uma emoção pequena, qualquer coisa!
Qualquer coisa que se sinta...
Tem tantos sentimentos
Deve ter algum que sirva  ♪♫
Socorro- Arnaldo Antunes

segunda-feira, 31 de maio de 2010

À espera de ....mim

Postado por Camilla Fernanda às 02:46
Reações: 
3 comentários

E eu que sonhei tanto,eu que procurei tanto,agora me vejo aqui,sem sonho e sem procura,vivendo um dia de cada vez e agradecendo imensamente a Deus só por poder ver os dias passarem. Não se trata de desânimo,talvez um cansaço momentâneo,talvez seja o surgimento da tal estrela depois de tanto caos,talvez seja.
Estou tentando ser mais realista,menos infantil,mais confiante,menos chorona, mais decidida e segura.Pra vê se assim tudo se ajeita,pra vê se a sorte me encontra e fica pra sempre.Porque não é de se espantar que eu esteja cansada,de quebra-cabeças que eu não entendo,eu já estou farta. E se no fim tudo vai acabar bem, eu fico quieta e espero [sentada,quase deitada] pacientemente esse tal fim de qualquer coisa,com apenas uma questão na cabeça: Será que ainda falta muito pra acabar?

domingo, 30 de maio de 2010

Postado por Camilla Fernanda às 02:16
Reações: 
1 comentários
"É necessário ter o caos cá dentro para gerar uma estrela."
Friedrich Nietzsche


Eu? Sinto que estou quase lá.


;)

domingo, 23 de maio de 2010

♪♫

Postado por Camilla Fernanda às 13:01
Reações: 
2 comentários
Mesmo sozinho- Nando Reis
Uh... Baby
Por que você foi pra tão longe?
Não precisava tanto
Bastava só não telefonar

Uh... Baby, baby, baby, baby
O que aconteceu?
O ar não foi suficiente?
Você não viu, você sumiu
Mudou de lugar

No mais, estou vivendo normalmente
Não vou ficar pensando
Se tivesse sido o contrário

Estou feliz
Mesmo sozinho (a)
Esse silêncio é paz
Nesse momento cai
Uma forte chuva
Quem vai ficar chorando?

Uh... Baby!
Sabe do que eu sinto saudades?
Do seu sorriso de manhã
E do quarto tão desarrumado

Uh... Baby
Saiba que eu gosto muito de você
Espero que esteja feliz
E bem acompanhada (o)

Normal, estou vivendo simplesmente
Não vou ficar pensando
Se tivesse sido contrário

Estou feliz
Mesmo sozinho(a)
Esse silêncio é paz
Nesse momento cai
Uma forte chuva
Quem vai ficar chorando?

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Lições do cinema N° 1

Postado por Camilla Fernanda às 16:11
Reações: 
4 comentários
"A vida passa muito depressa se não pararmos para curti-la, ela passa sem se perceber"

Ferris Bueller em Curtindo a vida adoidado
;)

SELOS

Postado por Camilla Fernanda às 14:11
Reações: 
6 comentários
Genteeeee,olhaa o que eu ganhei da minha amiga blogueira(plus),brasiliense e linda Sté.Ela que me encanta com seus lindos versos no: http://www.aomeurespeito.blogspot.com/
com ótimos livros em : http://www.maisqueversos.blogspot.com/
e mais recentemente juntamente com a Lary, vem embelezar o mundo em:  http://vouprarua.blogspot.com/ 
Que lindo,adorei minha flor.Obrigada pelo carinho!


O que é Prêmio Dardos?


O Prêmio Dardos é um reconhecimento dos valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.


Aqui vão as regras:

* Exibir a imagem do selo no blog.
* Exibir o link do blog que você recebeu a indicação.
* Escolher 10, 15 ou 30 blogs para dar indicação, e avisá-los.


Meus Blogs favoritos:
http://abaixodoradar.blogspot.com/
http://abstracoeslirimosfilosofices.blogspot.com/
http://ataldabuh.blogspot.com/
http://aomeurespeito.blogspot.com/
http://caixinhadelicada.blogspot.com/
http://casodascoisas.blogspot.com/
http://lalahrabelo.blogspot.com/  
http://muitoigualavoce.blogspot.com/
http://liamarizia.blogspot.com/
http://revelandosentimentos.blogspot.com/
http://renatinhascs.blogspot.com/
http://tipicoepeculiar.blogspot.com/  
http://universoelegantegookz.blogspot.com/
http://versoslepidos.blogspot.com/ 

e por enquanto é só.
Beijiinhos
=**

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Pensando...

Postado por Camilla Fernanda às 12:23
Reações: 
8 comentários
E cá estou eu, mais uma vez em uma manhã de segunda-feira de céu azul e calor extremo,escutando música e pensando que eu tenho que pintar minhas unhas antes das 11h se não vai acabar borrando quando eu for banhar.
Olho pro canto inferior direito da tela e vejo que já são 11:15h e nem dá mais tempo.Penso então que o jeito mesmo é parar de escrever e pintar logo se não chego atrasada na aula.Acabo ficando na dúvida se escrevo mesmo isso,afinal pode ficar parecendo que eu sou meio fútil e irresponsável.
E aí eu me lembro que não estou nem aí pro que vão ficar pensando e continuo escrevendo e mais tarde pinto a unha e pronto.
-Mas porque tu não para de escrever e pinta logo?
-Ora porque a minha inspiração é como a minha concentração na aula de antropologia.
-...
-É como um balão que uma criança de 3 anos está segurando: a qualquer momento pode voar e não mais voltar.Já perdi vários balões assim.
- Era essa a metáfora do balão que tu queria fazer? Não era aquela "o amor é tão grande que estoura um balão?"
-Não,isso foi o que a criança de 3 anos disse sobre o amor.
-A tá.
 E penso que eu deveria escrever alguma coisa que faça sentido, que esse texto nem tá legal.
Penso,penso e constanto então, que essa minha luta em sempre tentar acertar é que talvez esteja me levando ao erro,essa minha ânsia em vencer é que me faz perder.E logo presumo que já que eu nunca fui assim muito de ganhar eu deveria mesmo era fazer o melhor que sou capaz, só pra viver em paz e admito logo que eu vivo mesmo a esconder o coração.
Penso que eu deveria mesmo era aceitar que se ele não quer o meu álcool forte, continuando a  preferir Água Perrier eu deveria mesmo era compor uma nova canção cantando contando tudo isso.Falaria que apesar de estar lisonjeada com a sua fascinação por mim,ele é inacessível e que eu preciso de um tempo pra pensar.
E ai penso que eu tenho é que aprender que os homens amam as mulheres poderosas e ser logo poderosa pra vê se alguém me ama.E penso logo depois, que eles têm que gostar de mim do jeito que eu sou,oras.E aí eu me lembro que isso é só besteira e que eu tenho mesmo é que pedir esse livro emprestado pra minha tia, afinal é tudo um jogo e a gente tem que ser o que as pessoas querem que a gente seja.E aí eu me lembro que eu já faço isso e que talvez esteja tudo do jeito que tem que estar.
E aí penso que eu escrevo muito "que",talvez esteja tudo sem concordância,coesão e coerência e eu tenho é que pedir pra Bia corrigir esse texto antes de postar.Aí eu lembro que não vai dá tempo, afinal botei lá no começo do texto que era uma manhã de segunda-feira,Bia deve tá dormindo e eu preciso aprender a escrever.
Penso também que eu penso demais e se continuar escrevendo tudo que eu tô pensando assim instantaneamente, esse post vai ficar enorme e sem sentido nenhum.
Penso que tá na hora mesmo é de admitir que eu estou pintando a unha enquanto escrevo e que tenho que terminar isso logo,(o post e a unha) ir almoçar,banhar que eu já estou atrasada.
E aí eu penso que eu já me livrei de alguns pesos,já perdoei meus enganos e que eu também já achei que me acompanhava mas estou mesmo é cansada de esperar e fico em dúvida se alguém gritou meu nome ou se fui eu que quis escutar.E constato enfim que todo mundo pode usar e abusar de amar.
Penso que o texto vai ficar é assim mesmo,sem sentido,sem boa ortografia,imagem e grámatica correta, porque eu borrei a unha do dedo anelar da mão direita e o dedão da esquerda e vou ter que refazer.Droga!

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Conselhos

Postado por Camilla Fernanda às 12:17
Reações: 
6 comentários

Você pode ir embora e nunca mais ser a mesma.
Você pode voltar e nada ser como antes.
Você pode até ficar, pra que nada mude, mas aí é você que não vai se conformar com isso.
Você pode sofrer por perder alguém.
Você pode até lembrar com carinho ou orgulho de algum momento importante na sua vida: formatura, casamento, aprovação no vestibular ou a festa mais linda que já tenha ido, mas o que vai te fazer falta mesmo, o que vai doer bem fundo, é a saudade dos momentos simples:
Da sua mãe te chamando pra acordar,
Do seu pai te levando pela mão,
Dos desenhos animados com seu irmão,
Do caminho pra casa com os amigos e a diversão natural
Do cheiro que você sentia naquele abraço,
[...]
De qualquer forma, não esqueça das seguintes verdades:

  • Não faça nada que não te deixe em paz consigo mesma;

  • Cuidado com o que anda desabafando;

  • Conte até três (tá certo, se precisar, conte mais);

  • Antes só do que muito acompanhado;

  • Esperar não significa inércia, muito menos desinteresse;

  • Renunciar não quer dizer que não ame;

  • Abrir mão não quer dizer que não queira;

  • O tempo ensina, mas não cura.


Por Martha Medeiros

.....

Postado por Camilla Fernanda às 01:44
Reações: 
2 comentários

"Meu pai, meu pai do céu, meu pai do céu

Eu quase me esqueci, me esqueci

Que o teu amor vela por mim, vela por mim

Que seja feito assim."

Pai nosso- Padre Marcelo Rossi

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Obrigada por insistir

Postado por Camilla Fernanda às 00:44
Reações: 
7 comentários
"Até o mais seguro dos homens e a mais confiante das mulheres já passaram por um momento de hesitação, por dúvidas enormes e dúvidas mirins, que talvez nem merecessem ser chamadas de dúvidas, de tão pequenas. Vacilos, seria melhor dizer. Devo ir a este jantar, mesmo sabendo que a dona da casa não me conhece bem? Será que tiro o dinheiro do banco e invisto nesta loucura? Devo mandar um e-mail pedindo desculpas pela minha negligência? Nesta hora, precisamos de um empurrãozinho." Martha Medeiros

E é ao meu 'empurrador' oficial que dedico este texto,porque ele sempre diz o que deve ser dito e ninguém sabe ou quer dizer.

  • Obrigada por me mandar mensagem pra lembrar do dia da matrícula da UFMA.
  • Obrigada por me fazer enxergar que eu nem queria mais aquele curso[Biologia] mesmo,que eu só tinha medo de uma drástica mudança e de decepcionar as pessoas que esperavam mais de mim.
  • Obrigada por me obrigar a reservar umas horas do meu dia pra estudar para aquela prova,me convencendo que a gente vai tirar uma nota astronômica.
  • Obrigada por escrever num guardanapo que é ótimo ter uma pessoa massa como eu pra apurrinhar a tua vida e que espera que eu continue lesa e agradável sempre.
  • Obrigada por pagar lanche pra mim,ver minha cara de sono e se oferecer pra buscar um café,me emprestar teu jaleco,se comover com as minhas estórias e me esperar pra contar as tuas.
  • Obrigada por sempre se preocupar quando estou meio triste,insistir que eu fale o que aconteceu e pedir desculpa por aquele dia que me mandou calar a boca.
 Enfim obrigada por tudo, é muito bom ter a certeza que por trás de um head banger,existe um grande amigo com um doce coração.

eu--: Acho que vou cortar esse cabelo.
ele:-- Não faça isso.
eu:-- Então o que tu acha 'deu' escurecer ele de novo!?
ele:--Mas pq isso agora?
eu: --Sei lá, sabe quando tu abusa de olhar a mesma cara no espelho, todo dia!?
ele: -- É, eu sei
[...]Mas o tamanho do teu cabelo tá ótimo e a cor é linda,porque tu não muda outras coisas da tua vida!?Talvez tu tá precisando mudar em outros aspectos e acaba projetando essa necessidade de mudança na tua aparência.
eu: -- [...] [sem palavras]...                                       Obrigada. *.*

terça-feira, 27 de abril de 2010

Frases Musicais ♪♫

Postado por Camilla Fernanda às 11:55
Reações: 
3 comentários

"Gastei tanta palavra por gastar,
Agora as pobres tentam se salvar..."





quarta-feira, 21 de abril de 2010

Retalhos de Lispector

Postado por Camilla Fernanda às 19:05
Reações: 
3 comentários
Ando meio sem palavras,por isso transcrevo as de Clarice.
Talvez as entrelinhas falem melhor que nós duas.

  • AS APARÊNCIAS ENGANAM

Minha aparência me engana.



  • POR NÃO ESTAREM DISTRAÍDOS

Havia a levíssima embriaguez de andarem juntos, a alegria como quando se sente a garganta um pouco seca e se vê que por admiração se estava de boca entreaberta: eles respiravam de antemão o ar que estava à frente, e ter esta sede era a própria água deles.
Andavam por ruas e ruas falando e rindo, falavam e riam para dar matéria peso à levíssima embriaguez que era a alegria da sede deles. Por causa de carros e pessoas, às vezes eles se tocavam, e ao toque – a sede é a graça, mas as águas são uma beleza de escuras – e ao toque brilhava o brilho da água deles, a boca ficando um pouco mais seca de admiração.
Como eles admiravam estarem juntos! Até que tudo se transformou em não. Tudo se transformou em não quando eles quiseram essa mesma alegria deles. Então a grande dança dos erros. O cerimonial das palavras desacertadas. Ele procurava e não via, ela não via que ele não vira, ela que, estava ali, no entanto.
No entanto ele que estava ali. Tudo errou, e havia a grande poeira das ruas, e quanto mais erravam, mais com aspereza queriam, sem um sorriso. Tudo só porque tinham prestado atenção, só porque não estavam bastante distraídos. Só porque, de súbito exigentes e duros, quiseram ter o que já tinham. Tudo porque quiseram dar um nome; porque quiseram ser, eles que eram.
Foram então aprender que, não se estando distraído, o telefone não toca, e é preciso sair de casa para que a carta chegue, e quando o telefone finalmente toca, o deserto da espera já cortou os fios.
Tudo, tudo por não estarem mais distraídos.


  • MAS JÁ QUE HÁ DE SE ESCREVER
Mas já que há de se escrever, que ao menos não se esmague com palavras as entrelinhas.



Extraído do livro Para não esquecer-Clarice Lispector,1999

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Mea [maxima] culpa...

Postado por Camilla Fernanda às 00:42
Reações: 
4 comentários
Minha tão grande culpa.Porque a culpa é sempre minha.
Fui eu que disse pra você que deixaria rolar.É, fui eu.
Mas o fato é que eu sempre deixo rolar e não rola...é esse o problema...
Deixar rolar é fácil, é não fazer nada, é esperar que a vida faça tudo, deixar o destino se cumprir.
Mas é que toda vez o destino não cumpre, o nada continua nada e a vida esquece que boas histórias sempre envolvem um romance, e que no fundo ninguém quer assistir a história de alguém solitário que nunca foi amado.
E se a dor é que faz o poeta[ não que eu seja uma], eu preferia nem escrever,eu preferia nem saber falar dela, eu preferia nem ter que falar,eu preferia ser a idiota que é feliz demais, que tem mil motivos pra sorrir .
Além do mais me disseram que poemas felizes também são bonitos e apesar da minha ignorância de não concordar eu acredito, eu quero acreditar.
E esse nem era pra ser um texto triste e sentimental, porque eu nem quero ser resumida a isso, por isso disfarço minha 'dor', eu ponho a minha máscara da garota que é tão bem resolvida na vida que nem precisa desses clichês todos.E o disfarce é tão bom que ninguém percebe.
Meus amigos?Ah poucos percebem, os mais íntimos fingem não perceber pra me fazer sentir melhor, mas ninguém sabe, você não sabe...
Não, você nem quer saber...
que o que mais odeio é ter a consciência que apesar de me achar uma ótima companhia,um doce, uma fofa, uma gata e de pensar em mim vez ou outra,você não quer ficar.Não,não agora né!?Nem desse jeito assim tão urgente né!?
Mas é que se não for agora, pode nem ser, baby.
Eu posso ir embora,oras, posso sim.Posso sair num sábado à noite e te esquecer, isso pode acontecer.Eu posso receber uma mensagem de um caso antigo e querer reprisar.Ahãm eu posso,você nem me conhece,poxa, eu sou capaz disso.
A verdade é que ...não, eu não vou embora,nem te esquecerei tão fácil.A verdade é que não existem casos antigos pra serem reprisados, pelo menos nenhum que tenha valido a pena. Mas o problema é que você não sabe disso.E mesmo sem saber, você não quer ficar,mas também não quer ir.
Você quer é estar sempre a vista,quer é estar sempre aqui,quer é falar comigo todo dia sem se comprometer.Quer é não me magoar de vez.Quer é pingar gotas de felicidade e de ilusão ao mesmo tempo, só pra me confundir.É isso que você quer. 
Mas a culpa é minha,eu sei,fui eu que vi estrela onde só tinha rabisco,
fui eu que vi certeza onde só tinha possibilidade,
fui eu que disse pra mim mesma que você era tudo que me faltava...
e acreditei.

sábado, 3 de abril de 2010

Frases Musicais ♪♫

Postado por Camilla Fernanda às 01:17
Reações: 
3 comentários
♪♫  Eu vi você, até sentir tua mão

E achei até que me caia bem como uma luva ♪♫



A canção tocou na hora errada-Ana Carolina

segunda-feira, 22 de março de 2010

Rifa-se um coração

Postado por Camilla Fernanda às 23:58
Reações: 
5 comentários
Rifa-se um coração


Rifa-se um coração quase novo.
Um coração idealista.
Um coração como poucos.
Um coração à moda antiga.
Um coração moleque que insiste
em pregar peças no seu usuário.
Rifa-se um coração que na realidade está um
pouco usado, meio calejado, muito machucado
e que teima em alimentar sonhos e, cultivar ilusões.
Um pouco inconseqüente que nunca desiste
de acreditar nas pessoas.
Um leviano e precipitado coração
que acha que Tim Maia
estava certo quando escreveu...
"...não quero dinheiro, eu quero amor sincero,
é isso que eu espero...".
Um idealista...Um verdadeiro sonhador...
Rifa-se um coração que nunca aprende.
Que não endurece, e mantém sempre viva a
esperança de ser feliz, sendo simples e natural.
Um coração insensato que comanda o racional
sendo louco o suficiente para se apaixonar.
Um furioso suicida que vive procurando
relações e emoções verdadeiras.

Rifa-se um coração que insiste em cometer
sempre os mesmos erros.

Esse coração que erra, briga, se expõe.
Perde o juízo por completo em nome
de causas e paixões.
Sai do sério e, às vezes revê suas posições
arrependido de palavras e gestos.
Este coração tantas vezes incompreendido.
Tantas vezes provocado.
Tantas vezes impulsivo.
Rifa-se este desequilibrado emocional
que abre sorrisos tão largos que quase dá
pra engolir as orelhas, mas que
também arranca lágrimas
e faz murchar o rosto.
Um coração para ser alugado,

ou mesmo utilizado
por quem gosta de emoções fortes.
Um órgão abestado indicado apenas para
quem quer viver intensamente
contra indicado para os que apenas pretendem
passar pela vida matando o tempo,
defendendo-se das emoções.
Rifa-se um coração tão inocente
que se mostra sem armaduras

e deixa louco o seu usuário.
Um coração que quando parar de bater
ouvirá o seu usuário dizer
para São Pedro na hora da prestação de contas:
"O Senhor pode conferir. Eu fiz tudo certo,
só errei quando coloquei sentimento.
Só fiz bobagens e me dei mal
quando ouvi este louco coração de criança
que insiste em não endurecer e,
se recusa a envelhecer"
Rifa-se um coração, ou mesmo troca-se por
outro que tenha um pouco mais de juízo.

Um órgão mais fiel ao seu usuário.
Um amigo do peito que não maltrate
tanto o ser que o abriga.
Um coração que não seja tão inconsequente.

Rifa-se um coração cego, surdo e mudo,
mas que incomoda um bocado.
Um verdadeiro caçador de aventuras que ainda
não foi adotado, provavelmente, por se recusar
a cultivar ares selvagens ou racionais,
por não querer perder o estilo.
Oferece-se um coração vadio,
sem raça, sem pedigree.
Um simples coração humano.
Um impulsivo membro de comportamento
até meio ultrapassado.

Um modelo cheio de defeitos que,
mesmo estando fora do mercado,
faz questão de não se modernizar,
mas vez por outra,
constrange o corpo que o domina.
Um velho coração que convence
seu usuário a publicar seus segredos
e a ter a petulância de se aventurar como poeta.

 CLARICE LISPECTOR
 

Tudo que acho certo Copyright © 2010 Design by Ipietoon Blogger Template Graphic from Enakei